CONVERSA PÚBLICA – LANÇAMENTO DO PROJETO CLÍNICAS DO TESTEMUNHO

Na terça-feira da semana passada, dia 15/03, o Comitê Carlos de Ré participou do lançamento da segunda fase Projeto Clínicas do Testemunho, no Museu dos Direitos Humanos do Mercosul. O evento foi uma Conversa Pública que contou com a presença de pessoas afetadas pela Ditadura Civil-Militar, pesquisadores de diversas área e ativistas dos Direitos Humanos. A mesa inicial contou com a presença de José Carlos Moreira (vice-presidente da Comissão de Anistia), Jaime Betts (Instituto APPOA, entidade executora do projeto), Bárbara de Souza Conte (Sigmund Freud Associação Psicanalítica, entidade que executou a primeira etapa do projeto Clínicas do Testemunho), Enrique Padrós (prof. de História da UFRGS), Marli Mertz (ativista do Coletivo Memória, Ação e Reparação – testemunhos da violência de Estado) e Raul Ellwanger (músico e ativista do Comitê CArlos de Ré).

Mesa - fala Zeca Moreira
Da esquerda para a direita: Marli Mertz, Barbara Conte, Jaime Betts, José Carlos Moreira, Enrique Padrós e Raul Ellwanger.

As falas trouxeram uma reflexão sobre a luta por memória, verdade e justiça no contexto democrático, as conquistas e limites da Comissão da Verdade, a dificuldade de romper com o silêncio que se impôs e continua se impondo de diversas maneiras sobre o período de terror ditatorial: psicologicamente, socialmente, politicamente, etc. Colocadas em perspectivas clínicas, psicanalíticas, históricas e políticas, o público pode debater a partir de relatos pessoais ou análises acadêmica e militantes – ou ambas -, as experiências de quem viveu o terror de Estado, suas continuidades no período democrático e novos horizontes de luta, sob o contexto que se desdobra de instabilidade institucional hoje.

Raul Ellwanger, representando o Comitê Carlos de Ré, falou sobre a militância e as atividades que buscam fortalecer essa luta, como a disputa pelo Dopinha da Rua Santo Antônio, a relação com outros comitês do Brasil na Rede Verdade e Justiça, e também com outros comitês latino-americanos, como no evento Brasil agradece ao Chile, o Varal da Verdade e da Justiça, que estava presente no evento, entre outras atividades promovidas pelo Comitê.

Mesa - fala Raul
Fala de Raul Ellwanger, ativista do Comitê Carlos de Ré

Em um salão lotado, a público deu sequência às falas iniciais debatendo as dificuldades de romper o silenciamento por parte de quem vivenciou direta ou indiretamente a repressão militar, os impactos nas trajetórias de vida, as ameaças que vemos hoje às garantias civis e liberdades individuais, a persistente violência de Estado que se abate sobretudo sobre a população marginalizada das grandes cidades e novas ameaças como as tentativas de derrubada do governo por vias alheias ao percurso legal e a própria lei antiterrorismo encaminhada por ele.

Plateia - frente
Público que lotou o auditório do Museu dos Direitos Humanos do Mercosul para privilegiar o evento

Logo dos Banners

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s