NOTA DO GRUPO TORTURA NUNCA MAIS-SP – 25/08/15

NOTA DO GRUPO TORTURA NUNCA MAIS – São Paulo

A propósito da charge no Facebook

O Grupo Tortura Nunca Mais-SP vem, a público, esclarecer o episódio envolvendo um de seus integrantes a propósito de charge publicada no Facebook e que motivou  uma nota  do comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo nas redes sociais.

Na  referida nota, o comando da PM considera  como bandidos  os   criminosos que teriam praticado a chacina de Osasco que vitimou 18 pessoas, no dia 13 de agosto nas cidades de Osasco e Barueri, em São Paulo.

Afirma o documento que  a charge , segundo a qual os PMs utilizam uniforme durante o dia e, à noite, saem encapuzados para matar é generalista, já que  a corporação não pode ser responsabilizada por atos de criminosos que integram a instituição.

Como esclareceu o autor da postagem, não houve intenção de promover ofensas ou discriminações generalizadas com relação à Polícia Militar. Sua intenção foi protestar com relação à possível participação de alguns maus servidores públicos da Polícia Militar ou de outras instituições em chacinas. O referido autor da postagem é reconhecido nacionalmente por sua atuação em defesa dos direitos humanos, sempre disposto ao diálogo e visando à harmonização entre a sociedade civil e  instâncias de poder  na área da segurança pública.

O Grupo Tortura Nunca Mais-SP  considera que, de fato, a maioria dos policiais militares são pessoas honestas e responsáveis que atuam na segurança da população. E é positiva a afirmação do comando da PM de que os que  participaram da chacina são criminosos e bandidos. Lembramos que este tipo de procedimento de membros da corporação foi denunciado em várias matérias publicadas na imprensa, apontando outros fatos ligados ao Estado de São Paulo. Recentemente também em Manaus esta prática de retaliação entrou em voga, o que é muito preocupante, pois fatos semelhantes também aconteceram na Bahia.

O Grupo Tortura Nunca Mais que tem, entre seus fundadores, o cardeal Dom Paulo Evaristo Arns,  cumprimenta a  Corregedoria da Policia Militar de São Paulo por sua  investigação sobre os policiais envolvidos bem como o interesse e disposição demonstrados  pelo Secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, no  esclarecimento do caso que mobilizou organismos internacionais a exemplo da Organização dos Estados Americanos-OEA.

Da mesma forma, esperamos que  a Justiça condene, de forma exemplar, os policiais que mancham a corporação com a prática de violências e mortes, já que,  em grande parte, acabam isentos de punições, perpetuando na sociedade a noção de impunidade.

O Grupo Tortura Nunca Mais defende uma cultura de paz. Não queremos trabalhadores mortos por maus policiais nem policiais mortos por bandidos. A  preservação da vida é dever de todos. A retaliação não é o caminho para construção de  uma sociedade justa, pluralista, com respeito aos cidadãos e às instâncias de poder democrático. O esclarecimento da chacina e a transparência  na forma como vem agindo a Secretaria de Segurança Pública no Estado de São Paulo é alentador para as entidades de defesa dos direitos humanos. Esperamos, após o esclarecimento do caso, que a Justiça não deixe impune os maus policiais, contribuindo, assim, para que a Corporação possa ser valorizada cada vez mais pela sociedade.

Vilma Amaro

Presidente do Grupo Tortura Nunca Mais-SP

25/08/2015

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s